Alcova     a a aaaaa* ah!  *

Peniche, Rua José Estêvão, nº 91


programação           actividades       funcionamento       informações


o segredo da alcova revelado

 

PROGRAMAÇÃO 2014                                                               alcova a dois           

NOVA PROGRAMAÇÃO

 

A partir de meados de outubro e até abril de 2015, a exibição semanal de filmes passará a quinzenal, às terças ou quartas-feiras. Exibições pontuais terão lugar aos sábados depois das 22 h 30 (Alcova fora de horas).

 

EM BREVE

 

CINEMA

 

quarta-feira, dia 10 de dezembro, 21h 30   (sessões quinzenais)

 

UMA SEPARAÇÃO, de Asghar Farhadiciclo Cinema do Mundo

 

Um casal da classe media do Irão, em vias de separação, envolve-se em conflitos quando o marido contrata uma criada de baixa condição social, grávida sem ele saber, para tomar conta do seu pai que sofre da doença de Alzheimer.

 

O filme foi premiado com um Óscar para o “Melhor Filme Estrangeiro” em 2012 e nomeado para o “Óscar de Melhor Argumento Original de Língua não Inglesa” desse mesmo ano. Obteve noventa e nove por cento de críticas positivas pela imprensa de Nova Iorque. Farhadi foi entretanto classificado pela revista Time como uma das cem pessoas mais influentes do mundo.

 

Programado por Carlos Ramos e Fernando Costa

……………………………………………………………………………………………..

sexta, dia 12 de dezembro, 22h 30  - sessão especial  organizada pelo

Centro do Yoga – Áshrama Peniche

 

 

A MÃE GANGA – documentário sobre o mítico e sagrado rio Ganges

 

Belo e impressionante documentário sobre o maior rio da Índia, o Ganges sagrado.

 

O filme, para lá do documentário, é uma jornada espiritual que se inicia em Ganga Sagar, na Baía de Bengala, onde a Mãe Ganga se mete mar dentro antes de voltar a brotar, 2600 quilómetros mais acima, em Gomukh, lá bem no alto dos Montes Himalaias. Seguindo esse percurso, visitamos o lugar sagrado de Mayapur, onde se adora Caitanya, e o de Bodhgaya, onde certa vez Buda foi iluminado pela sabedoria. Assistimos às belas festividades de Ganga Puja, culto que lhe é prestado em honra das águas douradas de Varanasi, e, em Prayag, à maior peregrinação espiritual do mundo, a Kumbha Mela.Em Rishikesh, deliciamo-nos com a austeridade de místicos yogas e acabamos por subir às torres aguçadas no topo dos soberbos Himalaias para descobrirmos a misteriosa nascente de Ganga. Ouvimos narrativas intemporais dos Vedas, que descrevem a origem espiritual de Ganga, e o passado sobre-humano dos santos da Índia, semideuses e heróis. Confrontamo-nos com formas artísticas notáveis e com imagens imbuídas de uma carga prodigiosa que nos dão uma ideia da natureza transcendente de Ganga. Ganga é esse tal rio inseparável da cultura e religião da Índia, rio adorado por um bilião de pessoas: a mãe que está na origem da vida e que sabe perdoar todos os pecados. Mergulhando em tais águas, somos totalmente levados pelos fluxos da “Mãe Ganga”.

 

………………………………………………………………………

 

terminamos o ano de 2014 com a projecção do filme

 

TEMPOS MODERNOS  de  Charlie Chaplin     (ciclo Comédias)

sádado, dia 13, 22h 30Alcova fora de horas

 

anunciamos no fim do ano os primeiros filmes de 2015

………………………………………………………………………

 

 

EXPOSIÇÃO DE PINTURA   até ao final da Primavera 2015

 

sábado, dia 29 de novembro, 19h 30, foi inaugurada nova exposição de António Santos

(série ANIMAIS )

 

Chamamos a vossa atenção para o interesse destas séries sobre temas “populares”.

António Santos é transmontano e residente em Paris. Tem exposto com alguma regularidade em Portugal, França e em colectivos noutros países. A sua obra, vasta e diversificada, caracteriza-se por grande originalidade e por um humanismo vibrante, enraizado nas suas origens.  Para versados, é uma oportunidade de a descobrirem. Para residentes, é uma boa ocasião para quebrar a rotina e se deixarem interpelar por quadros que vos farão sorrir. 

 

António Santos, pintor de sonhos – artigo

 

NOTA: como não podemos ter a exposição permanentemente aberta, aceitamos visitas

programadas  bastando para isso que nos enviem um mail a fim de combinarmos dia e hora.

mailto:mail@alcova.org

……………………………………………………………………………………………

 

CONCERTO

 

Iniciamos as sessões de música de 2015 com um concerto do

trio de sopros  CHAGAS CURADO VIEGAS WIND TRIO

sábado, dia 17 de janeiro 2015, 22hAlcova a três

 

PAULO CHAGAS - flautas, oboé, clarinete sopranino

JOÃO PEDRO VIEGAS - clarinetes soprano e baixo

PAULO CURADO - flauta, saxofones soprano e alto

Ver  BIOS

 



 

ANTERIOR

 

FILMES

sábado, dia 6 de dezembro, 22h 30   ALCOVA FORA DE HORAS – ciclo Comédias

 

LARS E O VERDADEIRO AMOR, de Craig Gillespie

 

Lars Linstrom é um trintão solitário e tímido. Vencendo a timidez, leva Bianca, moça que descobre na Net, até sua casa. Quando o irmão e a esposa a vêem, ficam de olhos arregalados. Bianca é, nem mais nem menos, uma boneca do tamanho de uma pessoa e Lars trata-a como tal. Perante tal coisa, decide o casal consultar uma psicóloga que lhes diz que o melhor que têm a fazer é não o contrariar e o deixarem consumar seu ardente amor até … «onde ele precisar».

 

Nomeado para o Óscar de Melhor Argumento e Gobo de Ouro para Melhor Actor.


 

SCIALLA!  (Calma aí!), de Francesco Bruni

quarta-feira, dia 26 de novembro, 21h30

 

Um pai desprevenido vê-se a braços com um filho ilegítimo de quinze anos que lhe entra em casa trazido pela mãe para o deixar ao seu cuidado visto partir para África. O rapaz não sabe nem sonha quem é aquele senhor.

Prémio para o melhor filme no Festival de Veneza de 2011 (secção Contracampo).

 

Alcova fora de horas

 

AS FÉRIAS DO SENHOR HULOT de Jacques Tati

sábado, dia 29 de novembro, 23h 30

 

O Senhor Hulot chega de férias ao Hotel de La Plage, em Saint-Marc-sur-Mer, pachorrento local de férias à beira-mar de certa burguesia francesa que segue à risca a moda dos novos tempos. Inveterado fumador de cachimbo, alto, delgado, elegante, ágil e sempre mudo, o desvairado visitante gera o caos por entre as sisudas famílias que por ali veraneiam.

Palma de Ouro do Festival de Cannes, 1953 (Melhor Filme). Óscar para Melhor Argumento, 1956.

 

Alcova fora de si

 

PENICHE

clube (Peniche, jardim da Praça Jacob Pereira)

A  ESTRADA (1954de Frederico Fellini

quarta-feira, 29 de outubro, 21h 00

precedido de duas curtas-metragens sobre o mar

LISBOA

Museu Nacional de Etnologia

“Mau Tempo, Marés e Mudança”, “E do Mar Nasceu”, “A Lampreia” (a pesca da lampreia no rio Minho), todos de Ricardo Costa.

 

Estes filmes são integrados num ciclo sobre a pesca artesanal em Portugal, nos próximos dias 25 e 26, sábado e domingo. Daremos informações mais precisas sobre este ciclo.

 

Programas adiados pelos seguintes motivos:

O CLUBE adia «considerando que neste momento se aguarda eleições para a coletividade» (???)

O MNE adia o ciclo devido a infiltrações de águas da chuva na cabine de projecção (!!!)

a 27/10/14

 

EXPOSIÇÕES

 

Sexta-feira, dia 28 de novembro, 19h 30, último dia da exposição de pintura de António Santos (série TRÊS IRMÃOS).

 


 

FILME

 

ARGO, de Ben Affleck (2012)

quarta-feira, dia 12 de novembro, 21h 30

 

Thriller político, o filme conta-nos o episódio verídico do resgate de seis cidadãos americanos apanhados em plena revolução iraniana. A embaixada dos EUA é tomada de assalto pela população em fúria. O sentimento antiamericano está ao rubro e os funcionários da embaixada fogem como podem para a sua congénere canadiana onde ficam completamente isolados, colocando em perigo não só as suas vidas mas também  as do próprio embaixador do Canadá. Numa tentativa de resgatá-los, um agente da CIA (Ben Affleck) concebe um arriscado plano para os pôr fora do país. Fazendo-se passar por um cineasta, tenta persuadir as autoridades iranianas de que os diplomatas fazem parte da equipe de filmagens de um filme de ficção científica chamado Argo.

 

Neste filme intenso, hábil e admirável, Ben Affeck revela uma vez mais ambivalência de qualidades, à frente da câmara e atrás dela, com realização sólida e bom desempenho. O filme foi galardoado com cinco Óscares da Academia e três Globos de Ouro, além de ter sido vencedor de noventa e cinco prémios em festivais de cinema pelo mundo fora. (Carlos Ramos)

 

Programado por Carlos Ramos e Fernando Costa 

 


 

Alcova a dois

concerto 3

quarta-feira, dia 8 de outubro, 22h

 

Fernando Simões - trombone

Paulo Leal Duarte - guitarra

 

ouvir

concerto 1     PAULO CHAGAS  e  FERNANDO GUIOMAR

domingo  20 de julho

concerto 2   PAULO CHAGAS  e  CARLOS CANÂO

quarta, 10 de setembro

concerto 3   FERNANDO SIMÕES  e  PAULO DUARTE

quarta, 8 de outubro

clicar PLAYER no topo da pág, à direita

 

Uma série de concertos assim intitulada  (duetos) teve início no dia oito de outubro,

 com periodicidade mensal ou bimensal.

 


 

Alcova fora de si

 

PENICHE

 

clube (Peniche, jardim da Praça Jacob Pereira)

quarta, dia 15 de outubro pelas 21h 30

MAU TEMPO, MARÉS E MUDANÇA de Ricardo  Costa (1976)

Retrato de MANUEL PARDAL, poeta repentista da Quarteira, e do seu dia-a-dia enquanto pescador. Manuel Pardal integra-se na tradição da  literatura popular portuguesa, na linha de António Aleixo.

Precedido por duas curtas-metragens sobre Peniche : “Ondas de Sacrifício” (2010, barco “Fruto da Liberdade,” com Elias Sousa), trabalho de curso de Ana Teresa Sousa, ex-aluna da Escola Superior de Artes e Design (Caldas da Rainha) e “Ensaio 1” (1973/4 – azáfama no porto de pesca), filmado pelo penichense Nuno Chaves quando adolescente.


 

FILMES

 

AMADEUS, de Milos Forman (1984)

terça-feira, dia 28 de outubro, 21h 30

 

Adaptação da peça de teatro homónima (1984) do norte-americano Peter Shaffer, variante da novela  “Mozart e Salieri” (1830) do russo Alexander Pushkin, o filme ilustra a rivalidade entre os compositores Mozart e Salieri. Nomeado para cinquenta e três prémios, venceu quarenta, entre os quais oito Óscares da Academia, incluindo o de melhor filme, e quatro da Academia Britânica. 

 

Viena, 1823. Internado num hospício, de alma destroçada, o velho compositor italiano Antonio Salieri (F. Murray Abraham) – nas suas próprias palavras «o campeão dos medíocres» –, revela em confissão como a inveja corrói um ser humano. Frustrado por não ter sido quem ambicionava ser, deixou-se levar por essa fraqueza odiando o seu parceiro Wolfgang Amadeus Mozart  (Tom Hulce) por quem no entanto sentia grande admiração, ao ponto de, invejando alguém mais talentoso que ele, afirmar que o assassinou. A banda sonora melancólica e a fotografia em tons sombrios do filme,  construído em flash-backs, reforçam magistralmente o drama deste complexo personagem.

(Carlos Ramos)

 


 

CASABLANCA (1942) de  Michael Curtiz

sábado, dia 18, 21h 30

 

Rick  (Humphrey Bogart) é dono de um famoso bar de Casablanca, Marrocos, colónia francesa na altura da Segunda Guerra Mundial. A cidade é um das rotas de fuga para quem pretende escapar à perseguição nazi. Aí livres trânsitos são vendidos por elevado preço no mercado negro. É neste caótico meio que Rick reencontra Ilsa (Ingrid Bergman), com quem tivera uma relação amorosa interrompida, que inesperadamente aparece no seu bar. Revivendo fortes emoções, terá de decidir se ela deve ficar ou ajudá-la a regressar a França com o marido, líder da resistência checa.

 

O filme venceu três Óscares: melhor filme, melhor realizador e melhor argumento. (Carlos Ramos)

 


 

CINEMA PARAÍSO   (1988)  Giuseppe Tornatore

sábado, 11 de outubro

 

Salvatore, conceituado realizador, invoca o tempo que passou durante a sua infância na sala de projeção da sua terra natal: um retrato da pobreza, da fome, dos horrores da guerra e das amizades que se tecem entre as pessoas na Itália do pós-guerra.

 

Foi vencedor de dois importantes prémios em 1990: o Óscar para o melhor filme estrangeiro e o Grande Prémio do Júri do Festival de Cannes. (Fernando Costa)

 


 

O EMPREGO   (1961)  Ermanno Olmi

sábado,  4 de outubro

 

Domenico é um jovem recém-licenciado à procura de trabalho. Consegue um emprego como simples estafeta. Conhece entretanto a jovem Antonieta, também  contratada. Apesar de trabalharem juntos, nunca se encontram. Pertencem a uma geração aliciada pela prosperidade do pós-guerra: a prometida ascensão social e uma dedicação obstinada à empresa.

 

Perturbado, depois de receber como prenda um peixinho num aquário, Domenico, lança-o na retrete para que um encarregado da empresa não fique com ele: metáfora do encarceramento e da miséria existencial de quantos ali vivem sem se importar com isso. (Carlos Ramos)

 

O filme obteve o prémio da crítica no Festival de Veneza.

 


O ACOSSADO   (1960),  Jean-Luc Godard

sábado, 27 setembro

 É o arranque da Nova Vaga do cinema francês, gerando uma corrente artística de primordial importância. O argumento é de François Truffaut, outro mestre do movimento.

 Um jovem gangster (Jean-Paul Belmondo) rouba um carro e abate umpolicia que o tenta deter por excesso de velocidade. Metido ao barulho, um tal Poiccard conhece uma jovem americana (Jean Seberg). Tenta convencê-la a fugir com ele para Itália. Perante esta situação difícil, oganster esconde-se e inicia uma relação com Patrícia, praticando pequenos delitos em Paris. As coisas correm mal. Denunciado por um informador, segue-se uma emocionante perseguição. (Carlos Ramos)

 Programado por Carlos Ramos e Fernando Costa 


 

A ILHA NUA (1960), de Kaneto Shindo

sábado, 20 de setembro

 

A luta pela sobrevivência de uma família japonesa numa ilha árida, com imagens sem diálogos. Kaneto Shindo oferece-nos uma das mais belas obras do cinema japonês (Fernando Costa).

 

 NOTA:

 

 Dois filmes de 1960 (A ilha Nua e o Acossado) ilustram cruzamentos históricos e o surto da

NOVA VAGADois outros, ulteriores, acima anunciados, futuros desenvolvimentos do

neorealismo. Passamos assim a revelar novas tendências do cinema.

 

Programado por Carlos Ramos e Fernando Costa 

 


 

ROCCO E SEUS IRMÃOS  (1960) de Luchino Visconti

sábado, 13 de setembro, 21h 30

 

Em busca de uma vida melhor, a viúva Rosaria Parondi e seus filhos - Rocco, Simone, Vincenzo, Ciro e Luca - partem da miserável Sicília (Sul da Itália) para a industrial Milão, em busca de uma vida melhor. Na grande cidade, cada irmão segue um rumo diferente. Simone (Renato Salvatori) tenta ganhar a vida como pugilista enquanto Rocco (Alain Delon) sonha em voltar à sua terra natal. Quando Simone é abandonado pela amante, que se envolve comRocco, tem início a degradação de uma família corrompida pelos valores e costumes de uma sociedade hostil.

Apresentado aqui na sua versão integral e restaurada, ROCCO E SEUS IRMÃOS é um dos maiores clássicos do cinema mundial.

 


 

AS NOITES DE CABÍRIA (1957de Frederico Fellini  

sábado, 6 de setembro, 21h 30

 

Cabiria, jovem de um bairro pobre de Roma, prostitui-se para ganhar a vida. Sonha com o verdadeiro amor, mas sofre constantes desilusões. O  namoradorouba-lhe o pouco dinheiro que tem e quase a mata afogada. Cabiria trava então  conhecimento com um fulano que se deixa tocar pela sua beleza quando a vê  "hipnotizada" por um mágico. Será o destino que a leva a esse encontro? Será ele a pessoa que ela tanto procura?

O papel de Cabiria é desempenhado por Giulietta Masinaactriz principal de A Estrada. (Carlos Ramos).

Este filme é galardoado com um Óscar (1958) enquanto melhor filme estrangeiro, dois anos depois de A Estrada, de Fellini também, ter ganho o mesmo prémio.

 


 

A  ESTRADA (1954de Frederico Fellini

sábado, 30 de agosto, 21h 30

 

Trata-se de uma obra profundamente marcada pela exuberante imaginação de Felinni, que em filmes subsequentes atingirá limites nunca antes tentados na história do cinema. O filme será galardoado em 1956 com um Óscar para o melhor filme estrangeiro.

 

Gelsomina  é vendida por sua mãe para trabalhar como empregada de Zampanó no seu circo ambulante. Ingénua, a jovem é maltratada pelo patrão, um brutamontes. Aparece entretanto um velho rival de Zampanó, equilibrista que se interessa pela rapariga o que leva ao extremo a fúria do irritadiço empregador.

 

Giulietta Masina , esposa de Fellini, desempenha o papel de Gelsomina. O  de Zampanó é desempenhado  por Anthony Quinn. Lançando para trás das costas os moldes em que o neorrealismo italiano progride, Felinni constrói um enredo poético e empolgante que apaixona o público e seduz a crítica mundial.

 


 

 ARROZ AMARGO (1949de Guioseppe De Santis

sábado, 23 de agosto, 21h 30

quarta-feira, 27 de agosto, 22h

 

Camponesas são contratadas para a colheita de arroz no Vale do Rio Pó, na Itália. Trabalham em condições duras e são vergonhosamente exploradas. Uma delas, a Silvana, enreda-se numa história de amor com um vigarista chamado Walter, que tem uma amante.

 

Entre realismo social e melodrama passional, o relevo dado neste filme às duras condições de trabalho dessas pobres semeadoras leva à descoberta de uma grande atriz estreante, que encarnará um dos mitos eróticos do pós-guerra: Silvana Mangano. Com ela contracenam grandes actores como Raff Valone eVittorio Gassmann(Carlos Ramos)

 


 

ROMA, CIDADE ABERTA (1945de Roberto Rosselini

sábado, 16 de agosto, 21h 30

 

Entre 1943 e 44, sob ocupação nazi, Roma é declarada cidade aberta para evitar bombardeios aéreos. Nas ruas, comunistas e católicos colaboram para combater os alemães e as tropas fascistas.

 

Filmada logo após a libertação da Itália, em cenários reais e com actores amadores, esta obra tornou-se um marco do neorealismo italiano, que mostrou ao mundo ser possível fazer cinema em  condições bastante precárias. É um dos maiores filmes da história da sétima arte. (Carlos Ramos)

 

HUMBERTO  D  de Vittorio De Sica

sábado,   dia 9 de agosto  pelas 21h 30

 

Umberto D. é um clássico inesquecível sobre o drama da velhice, apogeu da parceria entre o realizador Vittorio De Sica e o argumentista Cesare Zavattini, dupla responsável por obras-primas do neorealismo italiano, como por exemplo “Ladrões de Bicicletas”. Nomeado para o Óscar de melhor argumento, Umberto D. é um daqueles filmes que nos ficam para sempre.

 

Itália, início dos anos 50. O país renasce mas os idosos sofrem com as miseráveis pensões que o governo lhes dá. Umberto Domenico Ferrari, um funcionário público aposentado de Roma, é despejado por não conseguir pagar o aluguel do quarto. Na companhia do seu único amigo, o cachorro Flik, Umberto deambula pelas ruas da cidade, em busca de uma só coisa: viver com dignidade. (Carlos Ramos)

 

Programado por Carlos Ramos e Fernando Costa 

 


 

STROMBOLI, de Roberto Rosselini (1950)

sábado, dia 26 de julho pelas 21h 30

 

Na Itália, terminada a Segunda Guerra Mundial, soldados e expatriados esperam pacientemente as ordens para ser recolocados. Entre eles estão Karin(Ingrid Bergman), de origem lituana, que quer reunir-se com amigos na Argentina, e Antonio (Mario Vitale), soldado à espera de ser desmobilizado. Um amor de ocasião resulta em casamento. Karin não é autorizada a partir para a Argentina e vê em Antonio um meio de sair do campo em que está retida. Só que não sabe que Antonio vive em Stromboli, pequena ilha vulcânica sem qualquer conforto ou interesse. Submetida a uma vida que não previu e oprimida pelo conservadorismo e preconceito das pessoas, decide deixar a ilha e o marido.

 

Este atribulado filme (a sua produção teve momentos dramáticos) é um dos marcos do neorealismo italiano, obra prima deRosselini, que nele recorre a alguns actores profissionais mas sobretudo a pescadores locais. (Carlos Ramos).

 

NOTA: ver convergências temáticas, históricas e de género com três filmes já exibidos (MAN OF ARAN, A TERRA TREME, MAU TEMPO, MARÉS E MUDANÇA).

 

Programado por Carlos Ramos e Fernando Costa

 


 

MAU TEMPO, MARÉS E MUDANÇA de Ricardo  Costa (1976)

sábado, dia 19 de junho pelas 21h 30

 

Retrato de MANUEL PARDAL, poeta repentista da Quarteira, e o seu dia-a-dia enquanto pescador. Manuel Pardal integra-se na tradição da  literatura popular portuguesa, na linha de António Aleixo 

 


 

MATINÉ

domingo, dia 20 de julho pelas 18h.

 

CONCERTO com PAULO CHAGAS e FERNANDO GUIOMAR.

 

Paulo Chagas, natural da Atouguia da Baleia, compositor e músico com estúdio em Peniche, é conhecido enquanto instrumentista de sopro que mistura neoimpressionismo com jazz contemporâneo europeu «equilibrando elementos de composição modal com livre improvisação».

 

É um experimentalista nato em busca de sonoridades novas, apaziguantes, criando uma atmosfera íntima em que o real é serenamente interpelado e questionado pelo improviso, num diálogo em que impera a imaginação. Nessa troca de palavras, Fernando Guiomar comenta à guitarra o que se vai sentindo, à medida que as respostas nos são dadas.

 


 

 DOZE ANOS ESCRAVO, de Steve McQueen

sábado, dia 12 de julho pelas 21h 30.

 

Ano de 1841 Solomon Northup (Chiwetel Ejiofor) é um escravo libertado, que vive em paz ao lado da esposa e filhos. Um dia, após aceitar um trabalho que o leva a outra cidade, ele é sequestrado e acorrentado. Vendido como se fosse um escravo, Solomon precisa superar as humilhações físicas e emocionais para sobreviver. Ao longo de doze anos ele passa pelas mãos de dois senhores, Ford (Benedict Cumberbatch) Edwin Epps (Michael Fassbender), que, cada um à sua maneira, explora seus serviços. 12 Anos Escravo" recebeu nove nomeações para os Óscares, tendo vencido em três categorias, incluindo a de melhor filme. (Carlos Ramos)

 

Programado por Carlos Ramos e Fernando Costa

 


 

 MOBY DICK de John Huston

sábado, dia 5 de julho, 21h 30.

 

Moby Dick é um emblemático filme de aventuras em que o Capitão Ahab (Gregory Peck) enfrenta a célebre baleia branca, que obstinadamente persegue para se vingar de humilhações, se elevar entre seus pares, para se tornar um herói.

 

É um filme importante na história do cinema, realizado por um grande realizador norte-americano que soube manter intocável a sua independência.

 


 

MARIA DO MAR, de Leitão de Barros

sábado, dia 28 de junho, 19h 30

 

Um filme sobre a vida dos pescadores da Nazaré, no início da década de trinta, numa época em que a eterna labuta do mar é agravada pelas desigualdades sociais e pela precária situação do país.

No seu estilo, é uma mistura de ficção e documentário: tem intriga extraída de um romance, mas retrata ao vivo as gentes da Nazaré, no seu dia a dia, com suas tradições e suas tragédias, Tem actores profissionais, mas os principais são gente do povo.  

 

Neste dia:

NOVA COLABORADORA

 

Mara Cezar é uma nova colaboradora da Alcova, em actividades de gestão e planeamento.

Mara é brasileira, natural da cidade de Rio Grande, no Estado do Rio Grande do Sul. Trabalha actualmente numa tese de mestrado na Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa. Colabora ainda como assistente de realização e produção, no filme ARRIBAS, que começa a ser rodado em Peniche, no seguimento de BRUMAS.

 

Para marcar presença, a Mara vai brindar-vos com uma caipirinha a sério.

 


 

LADRÕES DE BICICLETAS (Ladri di biciclette) de Vittorio De Sica.

sábado, dia 21 de junho, 21h 30

 

Este filme inaugura novo ciclo sobre o neorealismo  italiano, programado por Fernando Costa e Carlos Ramos. O ciclo de filmes sobre o mar mantém-se, alternando com os do neorealismo.  

 

Ladrões de Bicicletas é um dos primeiros filmes neorealistas. Premiado com um Óscar, retrata o drama dos desempregados do pós-guerra, que não anda muito longe dos dramas que agora por aqui agora se vivem.

  


 

A TERRA TREME  (La Terra Trema) de Luchino

 

 Visconti

sábado, dia 14 de junho, 21h 30.

A Terra Treme ilustra a luta de pescadores de uma ilha da Sicília, explorados por intermediários gananciosos. É uma dos primeiros filmes neorealistas e um dos mais marcantes dessa corrente. Aqui, os actores são genuínos pescadores, que representam papéis da sua vida e do seu quotidiano.

É uma mistura de documentário e ficção, uma docuficção, das primeiras da história do cinema, corrente em que se destacam os filme Maria do Mar e Ala-Arriba, de Leitão de Barros. Tal como no anterior filme exibido (Homens de Aran), docuficção também, mar, terra e gente têm fortes parecenças com o que disso por cá há, pelas bandas de Peniche.

MAN OF ARAN  (Homens de Aran) de Robert Flaherty

sábado, 06 de junho, 21h 30

 

Flaherty filma na Escócia a epopeia dos pescadores das ilhas de Aran,  áridas e desoladas, que se dedicam à captura de relengueirosgigantes. Nessas ilhas dominam pequenas propriedades rústicas cercadas de muros de pedra, de características muito semelhantes às da península de Peniche, que permaneceram até meados do século passado.  É de admitir  terem sido colonos desses mares quem inspirou a construção murada das cercas que existiam nos terrenos arenosos do Cabo Carvoeiro. 

É um clássico do documentário, com passagens romanceadas, um retrato cru da condição humana, obra a não perder.  No final da projecção  será decidida nova programação e estabelecida maior regularidade das actividades da Alcova.

 

NANOOK, O ESQUIMÓ  de Robert Flaherty

sábado 17 de maio, 21h 30

Nanook, o Esquimó (1922) é um documentário de longa-metragem do realizador norte-americano Robert Flaherty. Marco na história do cinema, retrata a vida dos caçadores  e pescadores do Ártico. Este filme inicia um ciclo de obras cinematográficas na Alcova dedicado ao mar. Estabelece um elo com a apresentação a 10 de maio do PROJETO DAVID MELGUEIRO. Desde há uma semana que as referências a este explorador e ao referido projeto se multiplicaram na Net, a nível internacional, com um alcance nunca antes tido.

 

 

APRESENTAÇÃO DO PROJECTO DAVID MELGUEIRO

sábado 17 de maio, 21h 30

 

O projeto David Melgueiro consiste na construção de um navio oceanográfico à vela, de vinte e quatro metros, projetado pelo arquiteto naval Tony Castro em parceria com os Estaleiros Navais de Peniche. A embarcação destina-se a estudos oceanográficos em várias disciplinas científicas e será construída com materiais inovadores, tecnologia de ponta e com matérias-primas nacionais.

 

O projeto inclui, após o lançamento à água do veleiro, a realização de uma expedição científica intitulada “Marborealis”, circum-navegação ártica através da passagem do nordeste (pelo norte da Sibéria até ao estreito de Bering) e do noroeste (pela costa do Alasca e norte do Canadá) e ainda uma navegação até aos portos do Japão, da China e da Coreia do Sul. Apresentação feita por JOSÉ MESQUITA, o mentor do projeto. O projeto, de interesse nacional,  bastante importante para o futuro de Peniche, terá ampla divulgação internacional.

 

ASSOCIAÇÃO DAVID MELGUEIRO

MAPA DO SITE MARBOREALIS

PASSAGEM DO NORDESTE 

davidmelgueiro14@gmail.com

 


 

CRAVOS DE ABRIL de Ricardo  Costa (1976, 28 min, cópia restaurada)

do 25 de Abril ao 1º de maio de 74)

 GIG, vídeo de homenagem aos PINK  FLOYD (10 min.  em plano-sequência

sábado, 30 de abril

MÚSICA: dois discos memoráveis e ambiente de embalar

 

mail@alcova.org

ricardo  costa

Tel.  + 351 262 798 031

alcova.org

ENTREVISTA 

«